Pular para o conteúdo principal

OS BONS COMPANHEIROS DE MARTIN SCORSESE


OS BONS COMPANHEIROS (Goodfellas, 1990)

De Martin Scorsese





Photobucket - Video and Image Hosting

SINOPSE:

Garoto do Brooklyn, Nova York, que sempre sonhou ser gângster, começa sua "carreira" aos 11 anos e se torna protegido de um mafioso em ascensão. Sendo tratado como filho por mais de vinte anos, envolve-se através do tempo em golpes cada vez maiores. Neste período acaba se casando, mas tem uma amante, que visita regularmente. Não consegue ser um membro efetivo, pois seu pai era irlandês, mas no auge do prestígio se envolve com o tráfico de drogas e ganha muito dinheiro, além de participar de grandes roubos, mas seu destino estava traçado, pois estava na mira dos agentes federais1.


ANÁLISE DO FILME:

Baseado no bestseller de Nicholas Pileggi "Wiseguy", que conta à vida do contraventor Henry Hill, "Os Bons Companheiros" é um projeto pessoal do diretor Martin Scorsese. O filme vai funcionar como um resumo de tudo o que o estilo "Scorsesiano" traz de melhor: aprofunda-se e "desglamourisa" o filme de gângster (praticamente reinventando o gênero da máfia). Possui uma grande profundidade na abordagem do tema, narra uma história interessante sobre a violência urbana com a cidade de New York (sua cidade natal) como pano de fundo. E apresenta personagens com bastante complexidade e perturbações diversas, autodestrutivos, solitários e de moral distorcida, pautados por noções cristãs de culpa e redenção2.

Os Bons Companheiros é um arroubo de sarcasmo, violência e humor-negro, carregado de detalhes autobiográficos3 e feito num estilo semi-documental (único até então) , usando, sem abuso, da narração em off e de flashbacks4. O estilo acadêmico do diretor é comprovado por magníficos movimentos de câmera, edição com uma agilidade única e o uso correto de elipse de tempo para acelerar a narração, sem perder, no entanto, qualquer fato(por mais resumido que seja) no decorrer da estória.

A montagem no filme vai servir como um elemento diegético, a partir do momento em que interage com o personagem de Henry Hill,acelerando nos momentos de consumo desenfreado de cocaína, bem como, nas conseqüências do vício e do medo da perseguição de Hill pelos federais. Tudo isso se somando com a interpretação de Ray Liota para o personagem.

O fato de Martin Scorsese ter escrito o roteiro (junto com Nicholas Pileggi) faz com que a história adaptada se some a todos os elementos de sua estética na construção de filmes5. Os diálogos inteligentes e as cenas escolhidas, somados a uma ambientação de época perfeita, faz com que o mundo do crime seja visto, não de forma ficcional e ou romanceada, mas sim, como um mundo real, cru e violento.

Todos esses elementos se somam a interpretações seguras e convincentes. Tanto do elenco principal como do coadjuvante. Destaque para o trio que faz Henry (Ray Liota), Tommy (Joe Pesci)6 e James Conway (Robert de Niro)7 que vivem para e pela máfia.E nos fazem visualizar perfeitamente o esqueleto da trama8. Os Bons Companheiros é um perfeito exemplo para quem quer começar a entender as mudanças estéticas do cinema contemporâneo, bem como, para quem quer ver um exemplo de filme que agrada, choca, diverte e faz pensar.



______________________

1Fonte: http://adorocinema.cidadeinternet.com.br/filmes/bons-companheiros/bons-companheiros.htm
2Influência direta de sua formação seminarista, os filmes de Scorsese irão sofrer uma forte influência cristã,pois ele sempre vai pautar-se de conceitos católicos para construir suas estórias e personagens.
3Segundo o diretor, na vizinhança nova-iorquina em que cresceu, "ou se virava gângster, ou se virava padre".
4O que o torna mais conciso do que "Cassino" obra posterior do mesmo diretor.
5Não esquecendo que o livro "Wiseguy" de Nicholas Pileggi, já sofre forte influência da narrativa cinematográfica.
6Que foi premiado com o Oscar de ator coadjuvante em 1990.
7Que faz uma espécie de mentor dos outros dois amigos.
8De três companheiros que resistem a tudo: brigas de gangues, golpes bem sucedidos e fracassados e até mesmo à prisão. Até se meterem com traficantes de drogas, vivendo a mais perigosa aventura de suas vidas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POEMA COGITO DE TORQUATO NETO

UM POEMA QUE ME FEZ LEMBRAR






Ao encontrar e ler ,de Torquato Neto o poema Cogito,na mesma hora esqueci do que realmente procurava...

Poesia tem dessas coisas: lemos, absorvemos e ficamos pensando no que poderia ter feito ou sentido o poeta para se expor tão a fundo, e adentrar em nossas mentes e fazer o tempo voltar como uma espiral...

Torquato pertence ao grupo de poetas que viveram pouco (apenas 28 anos), deixaram uma obra curta e nem por isso fizeram mal uso das palavras nos poucos anos que tiveram para criar.

Ele também pertence ao grupo de poetas suicidas , um dia após completar 28 anos de idade (Ele nasceu em Teresina, Piauí, em 09 de Novembro de 1944), ligou o gás do banheiro e suicidou-se. Deixou um bilhete: "Tenho saudade, como os cariocas, do dia em que sentia e achava que era dia de cego. De modo que fico sossegado por aqui mesmo, enquanto durar. Pra mim, chega! Não sacudam demais o Thiago, que ele pode acordar"( Thiago era o filho de três anos de idade)...

Se ele …

UM POUCO DA POESIA DE NAURO MACHADO

O ANAFILÁTICO DESESPERO DE NAURO



Poesia nunca é demais, e sendo de um ídolo seu então!...Haja inspiração correndo solta na minha cabeça ao terminar de ler qualquer poema de Nauro Machado. Para tornar essa quinta-feira quente, resolvi então publicar aqui alguns de seus poemas, para ser mais preciso cinco poemas.

Poemas lidos e relidos no decorrer da minha vida de leitor e admirador da obra desse poeta maranhense.Sempre que tenho dúvidas, meu ?manual prático para certezas da vida? é algum livro de Nauro . Ele dita sempre o tom certo para quem procura tirar um pouco os pés do chão.



RADIAÇÃO
Eu vi a glória nos lábios da eternidade.
Eu vi o universo inteiro na angústia do fogo.
Pelo canto noturno, em galés da alvorada,
Eu vi os farrapos trêmulos da última estrela.

*******

TRAGÉDIA
A grande aventura do poeta
Consiste em seu tão pequeno rio
A voltar para a imensa fonte dele.

*******


RELACIONAMENTO
O eterno não cabe
Naquilo que o come,
Se de mim não sabe
O vizinho homem.

Entanto me bebem
Os olho…

BAILARINA

BAILARINA para moimoi




Tens os pés com essa sina Bailarina... Na ponta, no estilo Com sua beleza , eu retiro: Qualquer elogio a outra mulher.
Rodopia e completa De forma discreta Nossa vida no teu giro... Com sua beleza , eu retiro: Qualquer elogio a outra mulher.






Dança comigo Faz o que quer.

Interpreta suas leis Minha doce mulher...
Me refaça, me beija Provoca -me, me deixa tranquilo Nos meus versos eu insiro Meu amor, por ti mulher.