POESIA COISA E TAL...


 POESIA COISA E TAL


 

 
Tal qual no quadro,
Nas fotos,nas portas
Nos portas, nos dias...
 
No escuro do vício
Infinito da madrugada

Na consciência do verbo,
 
Poesia representa, agora,
O choro que aflora
Que jorra
Que fere
 
Que dribla:
 
A lógica caduca
De coisas e tais dilemas;
Mal escritos.
 
 
 

MY TYPE OF VANESSA


 
 
 
MY TYPE OF VANESSA
 


 

Algumas mulheres não querem dinheiro
Querem verso, prosa e ou poesia
Querem folhas escritas, rascunho
Flor pendurada no punho!!
 
Outras poucas querem lírios
Gérberas, violetas, rosas e perfumes
Não querem carros , nem motores
Querem odores  simples, quase estrumes...
 
Outras nem sonham com Paris
Querem sons, músicas e ou películas
Querem amor de índio , silvícolas
E pedem tão pouco, sem bis.
 
Difícil achá-las ou entendê-las
Pior perdê-las!!