Pular para o conteúdo principal

O CÉU DE SUELY DE KARIM AINOUZ


Mulheres , Lirismos e Cinema...

Photobucket - Video and Image Hosting



Ainda me lembro da primeira nota que li sobre o segundo filme de Karin Ainouz em uma dessas revistas de cinema: O filme seria Rifa-me e contaria a história de uma mulher que se rifa para sair da sua terra natal situada no nordeste. A história me chamou a atenção pelo fato do enredo paracer polêmico e verdadeiro(no meu estado,o Maranhão isso é fato comum, infelizmente). A minha curiosidade principal era saber como seria o próximo trabalho do diretor do excelente Madame Satã.

Pois bem, um ano depois vejo O céu de Suely no festival de cinema de 2006 da cidade do Rio de Janeiro.O segundo filme de Karim Ainouz não era mais rifa-me, mas o enredo era o mesmo: A cidade de Iguatu(sertão cearense) é palco para Hermila Guedes viver Hermila( os nomes dos atores são os dos personagens),personagem que volta de São Paulo com um filho e espera o pai da criança para recomeçar uma vida nova em sua terra Natal.

Os planos de Hermila não se concretizam e ela vê que o pai de seu filho, Matheus, não voltará. Ela se vê mãe solteira e sem emprego.Entre rifas de bebidas , brigas com a avó Zezita , flerte com seu antigo namorado João Miguel e festas com sua amiga Georgina, Hermila tem a idéia de fazer uma rifa, onde o vencedor terá o prazer de passar uma noite com ela.Com o dinheiro ela então iria para bem longe, além de São Paulo.

O filme é das atrizes Hermila Guedes, Maria Menezes, Zezita Matos, Georgina Castro . Talvez exagere ao dizer que nunca vi no cinema nacional interpretações tão naturais, mas se não me falhe a memória esse filme é um marco. O núcleo familiar Hermila, Zezita e Maria levam a história com simplicidade e sem cair em interpretações exageradas.A história que poderia parecer absurda ou cair em um pieguimos dramático social é transformada em um drama familiar e pessoal regido por Hermila Guedes. Destaque também para o ator João Miguel(Cinema , Aspirinas e Urubus) por seu papel de um homem contido e perdido, prestes a explodir a qualquer momento.Falar mais do filme seria cair no mero fato descritivo, atrapalhando a curiosidade de quem ainda não viu e garanto que o filme vai grudar que nem a sua trilha sonora.

O céu de Suely (grande premiado do festival do Rio 2006) é um belo exemplo do que essa nova geração de diretores brasileiros (que estão em seus primeiros e segundos trabalhos) podem produzir mundo a dentro. E Karin Ainouz é , sem dúvida, um dos maiores representantes dessa geração.Ele passou para tela , em seu segundo filme, tudo o que a meu ver, um filme tem para agradar a todos: Sensibilidade, verdade, lirismo sem perder o tom lúdico, universal e oníroco do cinema. E vou ficar esperando seu terceiro filme.


Prêmios Festival do Rio 2006:

Melhor Longa-Metragem Ficção
Melhor Direção - Karim Aïnouz
Melhor Atriz - Hermila Guedes
Prêmios Quanta e TeleImage ? Ficção

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POEMA COGITO DE TORQUATO NETO

UM POEMA QUE ME FEZ LEMBRAR






Ao encontrar e ler ,de Torquato Neto o poema Cogito,na mesma hora esqueci do que realmente procurava...

Poesia tem dessas coisas: lemos, absorvemos e ficamos pensando no que poderia ter feito ou sentido o poeta para se expor tão a fundo, e adentrar em nossas mentes e fazer o tempo voltar como uma espiral...

Torquato pertence ao grupo de poetas que viveram pouco (apenas 28 anos), deixaram uma obra curta e nem por isso fizeram mal uso das palavras nos poucos anos que tiveram para criar.

Ele também pertence ao grupo de poetas suicidas , um dia após completar 28 anos de idade (Ele nasceu em Teresina, Piauí, em 09 de Novembro de 1944), ligou o gás do banheiro e suicidou-se. Deixou um bilhete: "Tenho saudade, como os cariocas, do dia em que sentia e achava que era dia de cego. De modo que fico sossegado por aqui mesmo, enquanto durar. Pra mim, chega! Não sacudam demais o Thiago, que ele pode acordar"( Thiago era o filho de três anos de idade)...

Se ele foi c…

UM POUCO DA POESIA DE NAURO MACHADO

O ANAFILÁTICO DESESPERO DE NAURO


Poesia nunca é demais, e sendo de um ídolo seu então!...Haja inspiração correndo solta na minha cabeça ao terminar de ler qualquer poema de Nauro Machado. Para tornar essa quinta-feira quente, resolvi então publicar aqui alguns de seus poemas, para ser mais preciso cinco poemas.
Poemas lidos e relidos no decorrer da minha vida de leitor e admirador da obra desse poeta maranhense.Sempre que tenho dúvidas, meu ?manual prático para certezas da vida? é algum livro de Nauro . Ele dita sempre o tom certo para quem procura tirar um pouco os pés do chão.



RADIAÇÃO

Eu vi a glória nos lábios da eternidade.
Eu vi o universo inteiro na angústia do fogo.
Pelo canto noturno, em galés da alvorada,
Eu vi os farrapos trêmulos da última estrela.

*******

TRAGÉDIA

A grande aventura do poeta
Consiste em seu tão pequeno rio
A voltar para a imensa fonte dele.

*******


RELACIONAMENTO

O eterno não cabe
Naquilo que o come,
Se de mim não sabe
O vizinho homem.

Entanto me bebem
Os olhos alheios,
Até qu…

BAILARINA

BAILARINA para moimoi




Tens os pés com essa sina Bailarina... Na ponta, no estilo Com sua beleza , eu retiro: Qualquer elogio a outra mulher.
Rodopia e completa De forma discreta Nossa vida no teu giro... Com sua beleza , eu retiro: Qualquer elogio a outra mulher.






Dança comigo Faz o que quer.

Interpreta suas leis Minha doce mulher...
Me refaça, me beija Provoca -me, me deixa tranquilo Nos meus versos eu insiro Meu amor, por ti mulher.