FESTIVAL DE CINEMA DO RIO 2008


Festival de cinema do Rio




Entre 25 de setembro e 09 de outubro, acontece o Festival de Cinema da cidade do Rio de Janeiro. O maior festival da américa latina, tem esse ano diversos lançamentos premiados nos principais festivais de todo o mundo, homenagando em 2008 o Reino Unido : todo ano um país é homenageado na mostra , fazendo um panorama da sua cinematografia .


Com a espectativa de público de mais de 250 mil pessoas(380 filmes), o festival estará espalhado por diversos cinemas na cidade maravilhosa e focando a mostra nacional na cinelândia carioca: Com debates, tendas , tapetes vermelhos, votação popular e algumas sessões a dois reais nos cines Odeon e Palácio (centro do Rio).


Queime depois de ler

Da lista dos imperdíveis , posso citar a última produção dos irmãos Coen - Burn after reading - (Queime depois de ler), com Brad Pitt, George Clooney e John Malkovich, o fenômeno italiano(relata a máfia do sul do país) , que ganhou o Grande prêmio do Júri no festival de Cannes - Gomorra - de Matteo Garrone. Sem deixar de citar os vencedores da palma de ouro em Cannes - Entre les murs - de Laurente Cantet - e do Leão de ouro de veneza - The Wrestler - de Darren Aronofsky( o mesmo diretor de Fonte da Vida).

Gomorra



Tembém há um certa expectativa para ver os novos lançamentos dos mestres Francis For Coppola (youth without youth) e Woody Allen com o seu Vicky Cristina Barcelona. Enfim, há uma lista bem grande de filmes que não se pode perder: do nacional Última parada 174 de Bruno Barreto até o épico histórico ,Che, de Steven Soderbergh. E festival também é ver filmes estranhos, sem ler um resenha, atirar no escuro, se supreender, odiar, criticar e aplaudir. A cidade maravilhosa será em duas semanas, palco de diversas correntes e enredos dessa arte que encanta o mundo... Boa sessão a todos.

Ultima parada 174


FERREIRA GULLAR, 78 ANOS

Ferreira Gullar



Dia 10 de setembro de 2008, o poeta Ferreira Gullar completará 78 anos. O maranhense de São Luís , pode-se considerar um dos últimos grandes poetas vivos e que tem o privilégio de receber diversas homenagens, podendo agradecer pessoalmente.


O Poema Sujo(de sua autoria, lançando no exílio em 1976), um dos grandes exemplares de nossa poesia, traduzido em algumas línguas pelo mundo, será lançando esse final de semana em Buenos Aires, cidade aliás, onde ele escreveu a obra e que ainda não havia publicado.

A publicação em terras argentinas é um presente para esse que eu considero, junto com Leminski, meu poeta preferido. Da sua obra , aconselho todos lerem : Dentro da noite veloz (1975), A luta corporal e novos poemas(1966) e o próprio Poema Sujo. Sua poesia marca , faz refletir e não envelhece jamais. Tudo que um poeta precisa para ser lido e jamais esquecido. Parabéns ao poeta pela sua obra.


Photobucket

Deixo aqui um poema do livro Dentro da noite Veloz, que eu tive o privilégio de vê-lo recitar em uma livraria em Ipanema, no ano de 2005(com direito a foto e livro autografado). Segue o poema...


Photobucket


CANTIGA PARA NÃO MORRER


Quando você for se embora,
moça branca como a neve,
me leve.
Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca como a neve,
me leve no coração.
Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho de neve,
me leve no seu lembrar.
E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina de branca neve,
me leve no esquecimento.

Photobucket
O poeta e minha irmã Georgiana, Rio de Janeiro , 2005.