CASSINO DE MARTIN SCORSESE





Cassino





Da série filmes de cassinos...


Girando a roleta no brasil, e voltando um pouco no tempo, lembrei de um grande filme do mestre do cinema: Martin Scorsese. Cassino (1995),  retrata, pela visão de um testa de ferro de um administrador de cassino,  o glamour dos anos setenta nos cassinos de Las Vegas.

O trio, vivido por  Robert De Niro (Sam Rothstein ), Sharon Stone (Ginger M.-Rothstein ), Joe Pesci(Nicholas Santoro Sr.), dão o tempero necessário para um trama longa e bem escrita. Sam, o narrador e testa de ferro da máfia se apaixona  por Ginger, típica prostituta de cassino. Essa paixão como não poderia deixar de ser, joga de pernas pro ar a rotina do durão Rothstein, que ainda tem que se preocupar com os métodos, nada convencionais,  de proteção do seu amigo de infância Nick.






CassinoIII






Uma boa parte do filme vale pela atuação de Sharon Stone, sua personagem personifica bem o glamour fake da época. Suas ações são pano de fundo para uma narrativa bem tramada, violenta e de nos deixar vidrados do início ao fim do filme.

O filme também marca a segunda parceria de Martin Scorsese com o escritor Nicholas Pileggi (a primeira foi em Bons Companheiros), e como não poderia deixar de ser , temos mais um excelente filme desse diretor.

Para quem gosta de filmes com temáticas de cassino, uma boa escolha, para quem quer conhecer um pouco desse mundo, eu costumo dizer , que vendo umas 888 vezes , você se torna um grande administrador  como De Niro no filme. Scorsese (quase) sempre será uma boa pedida.





CassinoII








6 comentários:

Helô Muller disse...

Grande pedida!!

Filme inesquecível e atemporal... Vale a pena ser visto, revisto, repetido, de frente pra trás, de trás pra frente!!... rs Enfim, imperdível!! E cada vez que o assistimos, percebemos mais detalhes...
A nossa visão do mundo e das coisas, vai mudando e se reciclando sempre! Afinal, isto é "estar vivo"!...
Valeu a dica, como sempre!
Beijos da sorte!! rs
Helô

Canto da Boca disse...

Deu água na Boca, em tempo de overdose de futebol (até curto, mas tudo demais enjoa), é uma boa pedida. Sua narrativa me instigou a rever essa película (logo eu que adoro o De Niro, incondicionalmente! E o Scorsese, também dispensa comentários.

Beijo!

Jens disse...

Vi e gostei, Zé Viana. Um baita filme. Daqueles que, suspeito, não se fazem mais hoje em dia.

Um abraço.

Érica disse...

Vou assistir. Com certeza.
Esses dias tive sorte nas aquisiçãos de bons filmes. Dos cinco locados, todos valeram a pena.

Beijos.

Barbara disse...

Scorsese e as expressões de De Niro, sempre boas pedidas.

Francisco Sobreira disse...

Infelizmente, José, não posso fazer coro com você em relação a esse filme de Scorsese. Não gostei dele, quando o vi na época do seu lançamento. Talvez, numa revisão, possa mudar, pelo menos em parte, a minha opinião. Um abraço.