Pular para o conteúdo principal

DIA DE SÃO SEBASTIÃO




São Sebastião




Dia 20 de janeiro, convencionou-se como o dia de um dos santos mais populares dos católicos: São Sebastião. O Santo guerreiro, que desafiou o governo romano de Diocleciano, poupando cristãos, morreu empalado e torturado em Roma.

Nascendo sobre o nome de São Sebastião do Rio de Janeiro , em 1 de março de 1565, a cidade maravilhosa tem como padroeiro o santo guerreiro Sebastião, que como o fundador do Rio(Estácio de Sá) , morreu com um flecha.

Em pleno verão, os cariocas ganham esse feriado para curtir um pouco desse sol escaldante que a cidade oferece nessa época. O santo é referenciado em vários locais da capital , sendo inclusive , festejado em diversos terreiros de candomblé e umbanda , pois , no sincretismo religioso carioca, São Sebastião é Oxossi,que com, seu arco e flecha é o guerreiro da mata , da caça, e padrinho dos comunicadores.

Que a cidade maravilhosa abençoe seu padroeiro , bem como, a todos aqueles filhos e afilhados de Oxossi, peçam paz a uma das cidades mais bonitas do mundo: a cidade da Copa, das Olimpíadas , do mar , das florestas, do samba , da alegria. A cidade maravilhosa do coração do meu país ...



Oxossi





Comentários

greycek disse…
Que São Sebastião seja nosso intercessor em busca de um Rio mais
maravilhoso e cheio de paz!
São Sebastião,rogai por nós!!!
Amém!
Morena disse…
AIII adoro estes posts de amor a minha cidade!!!

Feriado só p quem pode...
Beijos saltitantes
Bom restinho de semana
Jaqueline Sales disse…
Quando criança, eu adorava olhar a imagem de São Sebastião porque sentia um enorme "feitiço" que a vida desse intercessor trazia. E como eu estava certa em admira-lo! Homenagem ao Senhor do Rio, São Sebastião, e que ele interceda pelo povo brasileiro trazendo a paz tão esperada e necessária.

Virei aqui mais vezes, se você não se incomodar de deixar um banquinho, assim, ao lado, para que a gente possa sentar e ler as postagens demoradamente.

Namastê
Nana disse…
Acredito q vcs deveriam pedir mais a Deus do a este santo q nao tem feito muita coisa pelo Rio... Bjs e fique com Deus.
Dilberto L. Rosa disse…
E viva Oxossi, saravá, meu pai! Viva o Rio, acima de jogos políticos e esmaecidos estratagemas populistas de perpetuação do Poder e da Política do pão e circo! E viva essa grande figura lendária (fiquei na dúvida: S. Sebastião morreu empalado ou flechado?) que inspira até mesmo os agnósticos! E viva meu querido avô: nasceu São Sebastião (20/01/1921) e morreu Santo Antônio (13/06/2004) - saudades de meu amigo...
LuCordeiro disse…
Me deu um trabalhinho te achar pq vc deixou um comentário no meu blog e,qdo cliquei no seu nome,apareceu que o perfil não estava disponível.Como não sou de desistir fácil,digitei seu nome no São Google e cheguei aqui.Aí vi meu link.Então percebi que eu não estava no blog errado :-)
Seguinte:obrigada pela visita e pelo comment.Tb te linkei.Gostei daqui,e qdo dei de cara com são Sebastião,adorei:São Sebastião representa o amor pelo Rio,então,estamos juntos nessa!
Depois volto para ler tudo o que puder,
Bjsss
Batom e poesias disse…
Vim agradecer a visita e o comentário e conhecer essa sua casa.
Gostei muito.
Abç

Rossana
luluonthesky disse…
Zé,
Acho bacana esses posts com história sobre a cidade.
Big Beijos
Jaqueline Sales disse…
Para saber das novidades....

Beijoooooooooosssssssss

Postagens mais visitadas deste blog

POEMA COGITO DE TORQUATO NETO

UM POEMA QUE ME FEZ LEMBRAR






Ao encontrar e ler ,de Torquato Neto o poema Cogito,na mesma hora esqueci do que realmente procurava...

Poesia tem dessas coisas: lemos, absorvemos e ficamos pensando no que poderia ter feito ou sentido o poeta para se expor tão a fundo, e adentrar em nossas mentes e fazer o tempo voltar como uma espiral...

Torquato pertence ao grupo de poetas que viveram pouco (apenas 28 anos), deixaram uma obra curta e nem por isso fizeram mal uso das palavras nos poucos anos que tiveram para criar.

Ele também pertence ao grupo de poetas suicidas , um dia após completar 28 anos de idade (Ele nasceu em Teresina, Piauí, em 09 de Novembro de 1944), ligou o gás do banheiro e suicidou-se. Deixou um bilhete: "Tenho saudade, como os cariocas, do dia em que sentia e achava que era dia de cego. De modo que fico sossegado por aqui mesmo, enquanto durar. Pra mim, chega! Não sacudam demais o Thiago, que ele pode acordar"( Thiago era o filho de três anos de idade)...

Se ele foi c…

UM POUCO DA POESIA DE NAURO MACHADO

O ANAFILÁTICO DESESPERO DE NAURO


Poesia nunca é demais, e sendo de um ídolo seu então!...Haja inspiração correndo solta na minha cabeça ao terminar de ler qualquer poema de Nauro Machado. Para tornar essa quinta-feira quente, resolvi então publicar aqui alguns de seus poemas, para ser mais preciso cinco poemas.
Poemas lidos e relidos no decorrer da minha vida de leitor e admirador da obra desse poeta maranhense.Sempre que tenho dúvidas, meu ?manual prático para certezas da vida? é algum livro de Nauro . Ele dita sempre o tom certo para quem procura tirar um pouco os pés do chão.



RADIAÇÃO

Eu vi a glória nos lábios da eternidade.
Eu vi o universo inteiro na angústia do fogo.
Pelo canto noturno, em galés da alvorada,
Eu vi os farrapos trêmulos da última estrela.

*******

TRAGÉDIA

A grande aventura do poeta
Consiste em seu tão pequeno rio
A voltar para a imensa fonte dele.

*******


RELACIONAMENTO

O eterno não cabe
Naquilo que o come,
Se de mim não sabe
O vizinho homem.

Entanto me bebem
Os olhos alheios,
Até qu…

A LOIRA DO CEMITÉRIO DE JOSÉ MARIA SOARES VIANA

Uma lenda pode sobreviver no decorrer por várias gerações. Pode, inclusive, ser um marco para contar a história da formação de uma nação. Há diversos exemplos em nossa cultura e na de outros países. No folclore popular, adaptadas para o cinema e ou em clássicos da literatura, elas estão lá: lendas urbanas, rurais, infantis, mágicas, surrealistas, de terror...



A loira do cemitério é mais uma lenda popular, criada no interior do Maranhão, mas precisamente em Santa Inês. A loira aparece sempre na estrada do cemitério da cidade, pede uma carona para quem passa em algum veículo motorizado, e, ao passar por ela, o condutor pode apostar que a loira está de carona. Uns dizem que ela era uma menina que foi atropelada na estrada, outros falam que ela morreu de alguma doença, outros que foi assassinada pelo pai.




O que o autor fez neste livro foi dar uma biografia e tornar “real” a estória dessa lenda local. José Maria Viana coloca como pano de fundo, a história da criação do seu município (que nos…