Pular para o conteúdo principal

JOSÉ AGRIPPINO DE PAULA, 14.07.1937 - 04.07.2007


MARGINAL ATÉ O FIM ...




Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket




No último dia 04 de julho, morreu de infarto o cineasta e escritor José Agrippino de Paula. Estava pronto para postar aqui, no dia 14 de julho(quando completaria 70 anos) ,uma pequena homenagem de duas obras que considero importantes para mim: o livro PanAmérica e o filme “Hitler , Terceiro mundo”.



Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket




O livro PanAmérica é um referência para diversas gerações de escritores,e é um painel alégórico que mistura diversos personagens da emergente cultura pop americana, como John Wayne, Marilyn Monroe, o jogador Joe Di Maggio, Andy Warhol, fazendo alusão a sociedade de consumo dos anos 60. José Agrippino com sua linguagem ,até de certo modo pulp, foi referência também para o Tropicalismo de Caetano e Cia. O livro foi um achado para mim e continua na minha lista de melhores leituras.Obrigatório...



Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket




O filme ” Hitler, terceiro mundo” é uma película que faz parte da escola marginal da década de setenta. E faz jus a estética: choca, provoca e em muitos momentos aproxima seres humanos de irracionais. O destaque é um certo Jô Soares no papel de samurai,com cenas marcantes no decorrer de todo o filme.Logo no início, o samurai joga folhas para favelados que mais parecem animais irracionais do que gente.E por fim O samurai Jô, sedento de fome, come uma pedaço de carne soltando grunido, como um verdadeiro animal.
Para mim, de todos os filmes marginais que vi, Hitler Terceiro mundo , experimentou e soube dosar choque e todo conjunto de características da estética marginal, com originalidade e diria até genialidade mais do que qualquer outro exemplar filiado a escola marginal.

José Agippino de Paula, morreu dez dias antes de completar seus 70 anos. Morreu esquecido e esquizofrênico, porém deixou duas obras que farão , de tempos em tempos, ser lembrado.




Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

POEMA COGITO DE TORQUATO NETO

UM POEMA QUE ME FEZ LEMBRAR






Ao encontrar e ler ,de Torquato Neto o poema Cogito,na mesma hora esqueci do que realmente procurava...

Poesia tem dessas coisas: lemos, absorvemos e ficamos pensando no que poderia ter feito ou sentido o poeta para se expor tão a fundo, e adentrar em nossas mentes e fazer o tempo voltar como uma espiral...

Torquato pertence ao grupo de poetas que viveram pouco (apenas 28 anos), deixaram uma obra curta e nem por isso fizeram mal uso das palavras nos poucos anos que tiveram para criar.

Ele também pertence ao grupo de poetas suicidas , um dia após completar 28 anos de idade (Ele nasceu em Teresina, Piauí, em 09 de Novembro de 1944), ligou o gás do banheiro e suicidou-se. Deixou um bilhete: "Tenho saudade, como os cariocas, do dia em que sentia e achava que era dia de cego. De modo que fico sossegado por aqui mesmo, enquanto durar. Pra mim, chega! Não sacudam demais o Thiago, que ele pode acordar"( Thiago era o filho de três anos de idade)...

Se ele foi c…

UM POUCO DA POESIA DE NAURO MACHADO

O ANAFILÁTICO DESESPERO DE NAURO


Poesia nunca é demais, e sendo de um ídolo seu então!...Haja inspiração correndo solta na minha cabeça ao terminar de ler qualquer poema de Nauro Machado. Para tornar essa quinta-feira quente, resolvi então publicar aqui alguns de seus poemas, para ser mais preciso cinco poemas.
Poemas lidos e relidos no decorrer da minha vida de leitor e admirador da obra desse poeta maranhense.Sempre que tenho dúvidas, meu ?manual prático para certezas da vida? é algum livro de Nauro . Ele dita sempre o tom certo para quem procura tirar um pouco os pés do chão.



RADIAÇÃO

Eu vi a glória nos lábios da eternidade.
Eu vi o universo inteiro na angústia do fogo.
Pelo canto noturno, em galés da alvorada,
Eu vi os farrapos trêmulos da última estrela.

*******

TRAGÉDIA

A grande aventura do poeta
Consiste em seu tão pequeno rio
A voltar para a imensa fonte dele.

*******


RELACIONAMENTO

O eterno não cabe
Naquilo que o come,
Se de mim não sabe
O vizinho homem.

Entanto me bebem
Os olhos alheios,
Até qu…

BAILARINA

BAILARINA para moimoi




Tens os pés com essa sina Bailarina... Na ponta, no estilo Com sua beleza , eu retiro: Qualquer elogio a outra mulher.
Rodopia e completa De forma discreta Nossa vida no teu giro... Com sua beleza , eu retiro: Qualquer elogio a outra mulher.






Dança comigo Faz o que quer.

Interpreta suas leis Minha doce mulher...
Me refaça, me beija Provoca -me, me deixa tranquilo Nos meus versos eu insiro Meu amor, por ti mulher.